Mimetismo: a vítima a favor do algoz Marcia Tiburi

O papel da ideologia está em convencer aquele que não se beneficia dela de transformar o engano em consenso

Dossiê | A leitura de Achille Mbembe no Brasil Carla Rodrigues e Suely Aires

Com o filósofo camaronês, ganhamos recursos teóricos para pensar as especificidades do racismo brasileiro e o devir-negro no mundo colonizado

O devir-negro do mundo Peter Pál Pelbart

Em Achille Mbembe, a negritude não é só uma condição subalterna reservada aos negros, mas o lote de sofrimento que abarca pobres, desempregados, imigrantes

A democracia é possível? Renato Noguera

Segundo Achille Mbembe, a democracia e o neoliberalismo são inconciliáveis – e a democracia só é viável a partir do combate radical do racismo

“Volta pra base e vai procurar entender” Tarso de Melo

Nas palavras de Mano Brown há o essencial do que devemos fazer para que tenhamos condições de disputar politicamente os rumos do país

O juiz e o capitão: um projeto autoritário Além da lei

A partir de janeiro, os dilemas do STF serão drásticos: a ameaça de um cabo e soldado de um lado; a pressão popular de um juiz das maiorias de outro

Na 1º semana do bolsonarismo, a democracia ainda respira Wilson Gomes

A opinião pública, o Supremo Tribunal Federal e Sérgio Moro como obstáculos entre o bolsonarismo e a desfiguração da democracia

Sujeito racial, governo dos corpos e branquitude Edson Teles

Achille Mbembe recorre aos conceitos de biopolítica, estado de exceção, poder soberano e os relaciona com os processos de colonização e descolonização

Corpos marcados para morrer Suely Aires

No Brasil, o extermínio de pessoas mostra a sua face no discurso corrente da guerra às drogas, justificativa, por excelência, para o exercício do necropoder

Guerra colonial à moda brasileira Carla Rodrigues

A noção de “guerra sem fim” de Achille Mbembe e a metáfora da guerra que define o Brasil desde o início da empresa colonial europeia

Novembro

TV Cult