“Ar-reverso”, de Paul Celan, e outros lançamentos literários Redação

Lançamentos literários de Paul Celan, Virginia Woolf, Stefan Zweig, Giorgio Agamben, Noam Chomsky e mais

O vivo na palavra Patrícia Lavelle

Escrito e publicado neste longo período em que a morte ameaça no ar que respiramos, “O Vivo”, quarto livro de poesia de Adriana Lisboa, interroga a vida que acende a palavra em seus momentos de incandescência

Leonardo Fróes, um vocabulário afetivo, e outros lançamentos Tarso de Melo

O poeta Tarso de Melo entrevista o também poeta Leonardo Fróes, que fala sobre temas centrais de sua obra e vida, e outros lançamentos literários

O pulo de Anna Kariênina Juliana Cunha

Como a obra-prima de Tolstói escancara um dos dilemas fundamentais da desigualdade de gênero

Presença discreta num tempo caótico: “Crise e irresolução”, de Vanessa Moro Kukul, e outros lançamentos Renan Nuernberger

Resenha do livro “Crise e irresolução”, poesia japonesa, contos russos e outros lançamentos

Ana, Marcela, Renata: no hay nada estable ou pequenos precipícios da carne Manoel Ricardo de Lima

Os livros recentes de Ana Assis, Marcela Azevedo e de Renata Flávia imprimem pequenos deslocamentos e sustentações moventes à ideia de que “não há nada estável” sugerida por Bolaño

O lugar onde as andanças nômades chegam ao seu fim: “Moldávia”, de Timo Berger, e outros lançamentos Daniel Francoy

Com a persuasão da melancolia, Berger trata da impossibilidade de se obter alguma clareza sobre o próprio desejo, expondo o sentimento de uma juventude ora alienada, ora em fuga, mas que pouco a pouco vai consolidando uma ideia de desperdício, de existência composta por adiamentos e desistências

Poética do desencanto: ‘Movimentos portáteis’, de Reynaldo Damazio, e outros lançamentos Michaela Schmaedel

Em seus movimentos tristes, com gestos lentos e pesados de um sobrevivente, um exilado em sua própria cidade, Damazio nos obriga recomeçar, a avançar, a escolher uma rota

Pássaro, onça, um animal que ri: ‘O som do rugido da onça’, de Micheliny Verunschk, e outros lançamentos Manoel Ricardo de Lima

Já fomos catequisados. Uma pergunta que volta, se revolve e se revolta, ativa, na literatura de Micheliny Verunschk, é como dizer de espera (de esperança) sem tempo, sem mundo e sem uma minimazinha sequer utopia irrecusável?

Porque agora sabemos de tudo: ‘Não vale morrer’, de Leonardo Marona, e outros lançamentos Dirceu Villa

Se a morte, o medo e a violência se tornaram os esqueletos no nosso armário psicossocial, este livro os atravessa de brilho literário, de alta feitiçaria, de antifascismo, de humor anárquico

Setembro

TV Cult