Uma psiquiatria que enxerga a alma Redação

O psiquiatra e professor Táki Cordás conversou com a redação da Cult sobre doenças mentais, seus diagnósticos e tratamentos

Por uma terapêutica não dualista, com psicodélicos Flavio Lobo

O neurocientista Eduardo Schenberg explica por que terapias que promovem “estados não ordinários de consciência” podem motivar uma mudança de paradigma na psiquiatria

especial | Invisíveis ao Estado Danilo Thomaz

Lançamentos de João Silvério Trevisan e Renan Quinalha trazem reflexões para a questão LGBTQIA+ a partir da crise do masculino e da luta contra a ditadura

Ler em tempos sombrios Danilo Thomaz

Que livros acompanharam escritoras, escritores e profissionais do livro nos últimos dois anos?

Multidão conectada Eduardo Guerreiro Losso

No primeiro artigo da coluna Encantamento e Desencantamento, uma reflexão, a partir da ideia de ascese, sobre a dependência de celular em tempos de pandemia

A força estranha de “Maid” Marilia Velano

A empregada doméstica é a figura que tradicionalmente assume o lugar fundamental da distinção de classe entre a burguesia e a classe trabalhadora

Não se pode mais pensar numa psiquiatra que não olha para a alma do paciente, tampouco numa psicanálise que não admite a existência de um cérebro

Táki Cordás, professor do Departamento de Psiquiatria da USP,

Cult 276 (Dezembro/21)

Aplicar modelos de psicoterapia com psicodélicos exige preparo, não se trata de dar a substância para o paciente e ficar olhando o que acontece

Eduardo Schenberg, neurocientista,

Cult 276 (Dezembro/21)

Ao entender a periculosidade da política lesbiana, é possível observar como determinados corpos e vidas se tornam alvo de táticas sofisticadas de apagamento

Bruna Irineu, professora de Política Social da UFMT,

Cult 276 (Dezembro/21)

No princípio era o amor? Matheus Ichimaru

A falta que brasileiros e brasileiras sentem do “amor” na bandeira é claramente um sintoma da falta de amor na sociedade brasileira

A voz que vibra de perto: “Azagaia”, de André Capilé Laura Assis

Ler “Azagaia” é uma experiência bonita, autêntica e, até por isso, muitíssimo dura

Que sentimentos Lula nutre pelas ditaduras de esquerda? Wilson Gomes

Lula e o PT nem de longe representaram qualquer ameaça à democracia brasileira

Arcas de Babel: Laura Erber traduz Henri Michaux Curadoria Patrícia Lavelle

Henri Michaux foi um poeta e artista atraído pela energia dos começos: começo do homem, começo de um pensamento, o começo da escrita

Newsletter

Dezembro

TV Cult