Sujeito racial, governo dos corpos e branquitude Edson Teles

Achille Mbembe recorre aos conceitos de biopolítica, estado de exceção, poder soberano e os relaciona com os processos de colonização e descolonização

Corpos marcados para morrer Suely Aires

No Brasil, o extermínio de pessoas mostra a sua face no discurso corrente da guerra às drogas, justificativa, por excelência, para o exercício do necropoder

Guerra colonial à moda brasileira Carla Rodrigues

A noção de “guerra sem fim” de Achille Mbembe e a metáfora da guerra que define o Brasil desde o início da empresa colonial europeia

Por uma psico-política de resistência Marcia Tiburi

A ‘cunhadice’ ameríndia poderia ser a base para um projeto político alternativo, em substituição à retórica da modernidade em torno da ‘fraternidade’

O museu, o arquivo e o tempo Marcia Tiburi

Num museu em chamas, são práticas que ardem e se extinguem em cinzas, e com elas a oportunidade de fazer a experiência do próprio tempo

Elogio da tradução Marcia Tiburi

Tradução é aquilo que faz migrar, de um espaço a outro, um modo de designar o mundo, uma maneira de se relacionar com ele, um jeito de pensar

Tensas relações entre arte e política: as vanguardas e o modelo etnográfico Alessandra Parente

O viés etnográfico na arte pode ser uma reiterada colonização traumática do Outro; apresentá-lo como objeto exótico pode ser não só regressivo, mas violento

Elogio da migração Marcia Tiburi

Para Flusser, a dificuldade dos ‘enraizados’ em lidar com migrantes é sintoma não só de limitações ético-políticas, mas também de um adoecimento estético

As confissões da carne, a libidinização do sexo e a mamadeira Marcia Tiburi

Escrito póstumo de Foucault, ‘As confissões da carne’ é de uma riqueza sem tamanho, e traz elementos que interessam a diversas áreas do conhecimento

Sobre a banalização do próprio corpo Marcia Tiburi

Nosso próprio corpo não é como qualquer outro corpo posto no espaço. Ele é dotado de vida: vida única, singular e que nos constitui

Fevereiro

TV Cult