A pena de Maat e a escuta trágica do suicídio Christian Ingo Lenz Dunker

Se o suicídio é uma experiência social e singular em estrutura trágica, podemos dizer que ela demanda uma escuta trágica que esteja a sua altura

A vida por um fio Henri Kaufmanner

Se vivemos onde inventamos, é preciso recuperar o fio da invenção de cada um a partir da sua diferença, à mortificação em vida

O suicídio na adolescência Carolina Nassau Ribeiro e Andréa Maris Campos Guerra

Como lidar com toda essa complexidade que envolve as ideações, as tentativas e o próprio atentado contra a vida, cometido pelos/as adolescentes?

Destruir para recompor Ana Cecília Carvalho

O paradoxo do suicídio em autores como Sylvia Plath, Virginia Woolf e David Foster Wallace

A solidão dos hiperconectados Marcelo Veras

Algo não deu certo no projeto de uma aldeia global hiperconectada: de 2006 a 2015, a taxa de suicídio entre adolescentes no Brasil subiu 24%

Uma psicanálise do outro Tania Rivera

Insubmisso ao tabu, irreverente ao totem, o “Manifesto antropófago” vibra vigorosamente na produção psicanalítica brasileira

Uma exceção no mundo Christian Ingo Lenz Dunker

A psicanálise no Brasil seria ao mesmo tempo signo de nosso atraso e passaporte para nossa presença no debate internacional

Moda “perigosa”: a psicanálise nos periódicos cariocas dos anos 1920 Rafael Dias de Castro

Como jornais e revistas da década de 1920 no RJ se referiam à teoria de Freud: ‘Arma perigosa que poderia agravar o sofrimento de que a pessoa padece’

Primórdios da psicanálise no Brasil Marina Massi

Foi na centralidade das áreas urbanas, como São Paulo e Rio de Janeiro, que a psicanálise floresceu, sob a égide de parte da medicina vigente e do movimento modernista

O feminino que não se lê Maricia Ciscato

O enigma feminino, antes pensado e localizado apenas em bruxarias e histerias, espalhou-se e disseminou-se pelos múltiplos corpos da cidade

TV Cult