O despertar da palavra Horácio Costa

José Saramago fala sobre seu período de formação e sobre a poética de romances cuja oralidade desperta a música adormecida da palavra escrita

Rimbaud, o rebelde Claudio Willer

Rimbaud aspirava à síntese de rebelião e revolução, ele queria a liberdade total e intransitiva. Nesse sentido, sua obra foi marcada pelo inconformismo absoluto

Sobre um editor de livro, amante do teatro Welington Andrade

Uma homenageam ao editor, ensaísta e tradutor Jacó Guinsburg, morto em 21 de outubro, aos 97 anos, e sugestões de leitura para o mês de novembro

Nem poesia, nem pão, nem circo Manoel Ricardo de Lima

A poesia de Tarso de Melo é esperança de frescor para disseminar a ideia de que a humanidade pode escapar da condenação de morrer numa uniformidade final

Imagens, esboço e alta velocidade Manoel Ricardo de Lima

Do romance ao poema, Leonardo Marona se exercita numa escrita como quem produz arremessos à beira de uma velocidade da astrofísica

Os ombros suportam o mundo? Tarso de Melo

Por que voltar a ‘Sentimento do mundo’, de Drummond, numa hora dessas, em que outras noites querem pesar sobre nossos ombros já sobrecarregados?

Dossiê | Graciliano Ramos e o mundo coberto de penas Ricardo Ramos Filho

Há bons indícios de que acompanhando a atual tragédia brasileira, e vendo persistir tanto desatino, o escritor mantivesse a fé em uma revolução social

Vida, literatura e engajamento Jean Pierre Chauvin e Rodrigo Jorge Ribeiro Neves

Em entrevista a Homero Senna, em 1948, Graciliano Ramos afirmou: “Nunca pude sair de mim mesmo. Só posso escrever o que sou”

Linguagem literária e vida sociocultural Benjamin Abdala Junior e Luzia Barros

Há em Graciliano Ramos a ideia de que a consciência da realidade depende de conexões que se articulam com as tensões da vida social

Graciliano Ramos e o cinema Randal Johnson

Filmes revelam a atualidade do escritor e as conexões importantes entre a produção cinematográfica do período pós-1960 e o romance social dos anos 1930

Fevereiro

TV Cult