Ciclo sobre Albert Camus, mostra itinerante de cinemas negros e mais

Ciclo sobre Albert Camus, mostra itinerante de cinemas negros e mais
Arte sobre foto de Albert Camus e obra de Nuno Ramos (Arte: Revista CULT)

 

 

[Teatro] Eles não usam tênis Naique

Ambientado numa favela carioca, o espetáculo narra o reencontro de um pai e uma filha que não se viam há muitos anos. Ele foi traficante nos anos 80, ela é uma jovem traficante nos dias atuais. A peça mostra um embate ideológico entre os dois personagens, representados em cena por cinco atores que se alternam nos dois papeis. A direção é de Isabel Penoni.

16/08, às 19h30, no Sesc Engenho de Dentro, av. Amaro Cavalcanti, 1661, Engenho de Dentro, Rio de Janeiro (RJ). R$ 10

[Cinema] 2º Mostra itinerante de cinemas negros

São 18 sessões previstas, mais de 70 filmes de várias partes do mundo exibidos gratuitamente em sete bairros da cidade de Salvador. Na programação, há longas e curtas-metragens de ficção, documentários, animações e obras experimentais que dialogam com adultos e crianças de bairros populares e periféricos da cidade. A ideia da mostra é ampliar as janelas de reprodução dos conteúdos nacionais e internacionais produzidos por realizadores negros. Veja a programação completa aqui.

Até 18/08, das 18h30 21h30, vários locais, Salvador (BA). Grátis. 

[Festival] Arena Hilda Hilst

Idealizado e promovido pelo grupo de teatro Companhia Barco, da capital paulista, o festival multiartístico presta homenagem à obra da escritora e poeta Hilda Hilst com mais de 60 artistas se dividindo em apresentações de música e teatro, oficinas de encadernação manual, grafite, atuação, improvisação vocal e escrita. A programação, que também inclui mesas de discussão e diversas oficinas, segue por todos os fins de semana de agosto. O evento tem apoio institucional do Instituto Hilda Hilst.

Até 1/09, no Teatro de Arena Eugênio Kusnet, rua Teodoro Baima, 94, República, São Paulo (SP)

[Teatro] O bailado do Deus morto

O Teatro Oficina faz uma apresentação única de trecho da peça O bailado do Deus morto, escrita em 1933 pelo artista multidisciplinar de Flávio de Carvalho, expoente do modernismo brasileiro. A obra discorre sobre a tragédia da morte de Deus e apresenta a vida criativa do homem livre de mitos. A encenação, que tem direção de Marcelo Drummond, abre a mostra Flávio de Carvalho: o antropófago ideal, que fica em exposição até 19/11 na Galeria Almeida e Dale.

17/08, a partir das 11h30, na Galeria Almeida e Dale, rua Caconde, 152, Jardim Paulista, São Paulo (SP). Grátis.

[Cinema] Vidas irlandesas: o cinema de Alan Gilsenan

Com curadoria de Beatriz Kopschitz Bastos e Lance Pettitt, a programação apresenta ao público cinebiografias diversas assinadas pelo diretor irlandês Alan Gilsenan. Os personagens são poetas, dramaturgos, artistas e psiquiatras irlandeses, tais como W. B. Yeats, Paul Durcan, Tom Murphy, Liam Clancy, Sean Scully e Ivor Browne. Há também personalidades irlandesas inseridas na história e cultura da América do Sul, como Patrick Pearse, Roger Casement e Eliza Lynch. Veja a programação completa.

De 15 a 18/08, vários horários, na Cinemateca Brasileira, lgo. Sen. Raul Cardoso, 207, Vila Clementino, São Paulo (SP). Grátis (retirada de ingressos com uma hora de antecedência)

[Literatura] 4º Primavera literária de BH

Participam da festa mais de 40 editoras em uma programação que inclui contação de histórias, mesas de discussão sobre literatura, mercado editorial e educação, além de oficinas, saraus e slams. Entre os temas discutidos estão literatura e feminismo, censura a livros infantis, mulheres na edição e novas formas de ver e fazer o livro. Feira acontece nas galerias I, II, III, na Sala 206 e no pátio do CCBB de Belo Horizonte.

De 15 a 18/08, das 10h às 21h, no CCBB, Praça da Liberdade, 450, Belo Horizonte (BH). Grátis

[Visita guiada] Memórias da rua do Ouvidor

Um roteiro inspirado na obra de Joaquim Manuel de Macedo, autor de A moreninha, pela rua do Ouvidor, no centro do Rio de Janeiro. O grupo vai percorrer pontos como a Igreja da Lapa dos Mercadores, a Igreja Santa Cruz dos Militares, a rua Uruguaiana, a Confeitaria Manon e o Largo São Francisco de Paula. Não é necessário inscrição, basta confirmar presença no evento no Facebook. As contribuições são voluntárias para o projeto Turismo e Ciência, que organiza o passeio.

17/08, às 10h, a partir do Charafiz do Mestre Valentim, Praça XV – Rio de Janeiro (RJ). Grátis

[Oficina] Impressão de xilogravuras

Os participantes podem brincar com a impressão de matrizes de xilogravura recortadas. Os diversos clichês de madeira podem ser montados livremente em camas de impressão, utilizando duas cores de tinta gráfica e equipamentos profissionais, como o rolo de entintagem e a prensa. Crianças de até 14 anos devem estar acompanhadas de um responsável. As inscrições  devem ser feitas no local, 30 antes da atividade.

17 e 18/08, das 15h às 19h, no Sesc Pompeia, rua Clélia, 93, São Paulo (SP). Grátis

'O Diabo não há', Xilogravura de Arlindo Daibert
‘O Diabo não há’, xilogravura de Arlindo Daibert (Reprodução)

[Cinema] As diabólicas

A mostra permanente Cineclube Francófono, com correalização da Cinemateca da Embaixada da França no Brasil, Aliança Francesa, Embaixada da França no Brasil e Institut Français, exibe o filme As diabólicas (1955), de Henri-Georges Clouzot. A sessão será comentada por Fabio Rodrigues Filho, mestrando no programa de Comunicação da UFMG e cartazista de cinema.

17/08, das 16h às 18h, no Cine Humberto Mauro, av. Afonso Pena, 1537, Centro, Belo Horizonte (BH). Grátis

[Palestra] Os fundadores do cinema

A professora Iara Baptista Pasta, professora da Faculdade Paulista de Artes, fala sobre a história do cinema desde os seus primórdios. Mostra a criação da linguagem clássica, apresenta seus elementos básicos e desvenda o modo como a articulação destes elementos compõe uma narrativa cuja matéria-prima são as imagens. A capacidade da sala é de 50 lugares.

17/08, das 14h às 16h, no Museu de Arte Sacra de São Paulo, av. Tiradentes, 676, Luz, São Paulo (SP). Grátis (ordem de chegada, 50 lugares)

[Cinema] Ciclo Akira Kurosawa

O projeto Cinematógrafo Cine Cineasta apresenta três filmes do cineasta japonês Akira Kurosawa a partir destes sábado (17): Rashomon (1950), Os senhores da guerra (1985) e Ikiru (1952). As exibições acontecem no Cinema do Museu e no Cinema da Ufba, e são parte de um ciclo dedicado à obra de um dos cineastas mais importantes do Japão.

17, 18 e 21/08, às 10h, no Saladearte Cinema da Ufba, av. Reitor Miguel Calmon, s/n, PAC Vale do Canela, Salvador (BA). Grátis

[Visita mediada] A umbanda na história do Brasil

O Núcleo de Educação do Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro propõe, por meio de itens em exposição, uma leitura sobre a religião brasileira criada no início do século 20, que sintetiza influências religiosas africanas, indígenas e cristãs. A atividade faz parte do projeto Bonde da História, que organiza visitas mediadas temáticas às exposições de longa duração do MHN.

18/08, às 14h, no Museu Histórico Nacional, praça Marechal Âncora, s/n, Rio de Janeiro (RJ). Grátis

[Ciclo] Camus, um estrangeiro no Brasil

Para celebrar os 70 anos da visita do escritor francês Albert Camus ao Brasil, a Record e os herdeiros do autor organizam, em São Paulo e no Rio, uma série de atividades sob curadoria do jornalista e crítico literário Manuel da Costa Pinto. Há mostra de filmes, debates, leituras dramáticas, saraus, além do lançamento da coletânea Camus, o viajante, que apresenta a tradução inédita da conferência “O tempo dos assassinos”, proferida na turnê pela América do Sul, em 1949. Veja a programação completa. 

20 a 31/08, em vários locais de São Paulo e Rio de Janeiro. Grátis. Saiba mais.

Deixe o seu comentário

Setembro

TV Cult