Cannes 2024, dia 5: “Caught by the tides” e “A queda do céu” Bruno Ghetti

O Festival de Cannes chegou neste domingo, dia 19, à metade, e até o momento não há nem sombra de favoritismo à Palma de Ouro. Aliás, é meio que unânime uma certa falta de empolgação dos presentes no evento com os filmes programados para a competição principal

Cannes 2024, dia 4: “Oh, Canada”, “Emília Perez” e “Três quilômetros para o fim do mundo” Bruno Ghetti

Após se tornar uma mulher, inclusive em termos legais, Emília procura reparar parte do mal que fez à sociedade mexicana ao longo de décadas no narcotráfico

Palestinização do mundo Berenice Bento

É impossível, acredito, pensar a nova fase do neoliberalismo contemporâneo, sem considerar a criminalização dos movimentos sociais e sem o terror dos Estados contra os corpos subalternizados. Torna-se impossível também não compreendermos o papel que Israel, como braço tecnológico contemporâneo da morte

Cannes 2024, dia 3: “Bird”, “Kinds of Kindness” e “L’Invasion”

O cinema britânico sempre foi prodigioso em obras de forte observação social, e, na atualidade, talvez não haja ninguém capaz de se manter tão comprometido com essa tradição inglesa e, ao mesmo tempo, fiel à própria voz interior, como Andrea Arnold

Cannes 2024, dia 2: “Megalópolis” e “Furiosa” Bruno Ghetti

Ao que parece, o filme que Coppola tinha em mente ficou por tanto tempo preso em seu crânio que, na hora de sair dali, foi para fora sem conseguir se expandir; é quase que um protofilme, fechado em si e incapaz de se comunicar com o que está ao redor

Cerimônia de abertura, Cannes 2024 Bruno Ghetti

O Festival de Cannes, que em 2024 chega a sua 77ª edição, começou menos interessado na competição pela Palma de Ouro e mais voltado para reverenciar duas grandes divas do cinema

Hassane Kouyaté: a arte como um exercício do livre-arbítrio Victor Kutz Manso

Hassane Kassi Kouyaté é diretor de teatro, contador de histórias e músico, e uma das mais importantes figuras da cultura francófona da África Ocidental hoje. Porém, um único substantivo pode resumir melhor as suas contribuições culturais: griô

Jean Oury: La Borde, coletivo, transmissão e memória Anderson Santos e Clara Novaes

Ao longo de 61 anos de trabalho clínico e teórico em La Borde em torno das psicoses, Jean Oury teceu elaborações clínicas muito operantes para todos os trabalhadores do campo da saúde mental que se arriscam a ir ao encontro da loucura

Paul Preciado, pornografia e história Helena Vieira

Diferentemente do que apregoa o senso comum, a pornografia não é própria apenas das imagens de sexo ou nudez explícitas, ela opera em toda a cadeia de trocas e fluxos de imagens no nosso tempo

Como “Bebê Rena” parte de traumas e abusos para encarar masculinidade em crise sem clichês Ivana Bentes

O mais comovente de Bebê Rena é o impulso de restituir a complexidade das coisas e das relações. A série deixa o espectador se sentir inteligente, completando com suas próprias vivências ou se colocando em pontos de vista e pontos de existência pouco usuais

TV Cult