Leia o conto ‘Último solo’, de Cortázar, inédito em português

Leia o conto ‘Último solo’, de Cortázar, inédito em português
O escritor argentino Julio Cortázar (Foto: Ulla Montán)
  Notório amante de jazz, Cortázar deixou este conto inacabado sobre Bix Beiderbecke - um dos grandes jazzistas dos anos 1920. Inédito, foi publicado em 2003 na Espanha, no primeiro volume de  suas Obras completas. O autor de O jogo da amarelinha dizia que seu ideal em literatura era escrever como o saxofonistas Charlie Parker tocava. Sou panamenha e há tempos vivo com Bix. Escrevo e passo para a linha seguinte: ninguém irá acreditar, se acreditassem, seriam como eu e não conheço ninguém assim. Não exatamente eu, mas ao menos como eu. O que é uma vantagem, porque dessa maneira posso escrever sem que me importe que leiam ou não, que ao final queime isto com o último fósforo do último cigarro, ou que o deixe abandonado na rua, ou que o dê para qualquer um, para que faça o que der na telha; tudo estará distante, tão distante de mim e de Bix. Escrevo porque não há mais o que fazer e porque é certo ou parecerá certo para alguém que seja como eu. Existem, esbarro neles perto ou longe na vida. Nem todos vivem atados ao que lhes ensinaram. Veja, Rimbaud disse que havia se apaixonado por um porco e os professores dizem que era um grande poeta, o fazem provavelmente sem convicção, porque devem pensar assim para não parecerem idiotas. Porém, eu sei que era um grande poeta e Bix também o sabia, ainda que jamais tenha lido uma linha em francês e eu tinha que lhe traduzir Rimbaud, ao que ele colocava a mão na cabeça e ficava pensando, ou ia até o piano e começava a tocar essa coisa que agora se chama In a Mist e que era sua maneira de dizer qu

Assine a Revista Cult e
tenha acesso a conteúdos exclusivos
Assinar »

Setembro

TV Cult