As contradições da personalidade autoritária

As contradições da personalidade autoritária
(Foto: Fotos Públicas)
  Nos Estudos sobre a personalidade autoritária, um aspecto que sobressai nas descrições dos sujeitos classificados como mais autoritários é a postura anticientificista. Tal característica decorre de sua anti-intracepção, que corresponde a uma oposição a tudo o que seja subjetivo, introspectivo, intelectual demais. Os conhecimentos produzidos por pesquisas científicas seriam substituídos por opiniões baseadas em superstições, estereotipias, cinismos, projeções de medos, desejos e fantasias – todos os ingredientes que compõem as racionalizações e fake news tão atuais. No entanto, é também característica da personalidade autoritária ser “down-to-Earth”, isto é, ter o pé no chão, ser prático, realista. Tudo o que não parte da realidade vivida de forma socialmente hegemônica é descartado como ilusório, imaginativo, impossível. Essa descrição decorre, por sua vez, de outro atributo do mais autoritário: o convencionalismo, ou seja, a rígida aderência a valores que produzem a manutenção do status quo. Essas são algumas das muitas contradições presentes na personalidade autoritária e que exibem os diferentes níveis de distanciamento e proximidade do mais autoritário em relação à realidade externa, à experiência, ao empírico. Antagonismos que evidenciam também a complexidade da teoria formulada por Theodor W. Adorno no que se refere à compreensão dos sujeitos estudados, da realidade e das contradições que persistem em seu “método” (sempre entre aspas) dialético. Tais desenvolvimentos adornianos so

Assine a Revista Cult e
tenha acesso a conteúdos exclusivos
Assinar »

TV Cult