A performatividade de gênero e do político Carla Rodrigues

Há inúmeras identidades possíveis para classificar Judith Butler e todas performatizam o eixo principal de seu pensamento: não é possível reduzir o sujeito a uma identidade sem limitá-lo

Tornar-se mulher, devir feminista Carla Rodrigues

Beauvoir e Butler abriram caminho para diferentes correntes de pensamento que hoje se valem da proposição inicial da francesa para pensar normas de gênero

Incertezas políticas e a relacionalidade Leticia Sabsay

A mudança de enfoque conceitual na obra de Butler pode ser lida como uma crítica às atuais políticas sexuais hegemônicas e, sobretudo, ao “libertarianismo” de alguns setores

O percurso da performatividade Joana Plaza Pinto

Considerado central na obra de Judith Butler, o termo “performativo” percorre as discussões e as posições da autora

Queerificando Antígona Susana de Castro

Com a leitura das peças de Sófocles, Butler desmonta a tese psicanalítica acerca da origem da ordem simbólica a partir do complexo de Édipo

Uma sequência de atos Guacira Lopes Louro

Para Judith Butler, o gênero “é a contínua estilização do corpo, um conjunto de atos repetidos no interior de um quadro regulatório altamente rígido e que se cristaliza ao longo do tempo”

A filósofa que rejeita classificações Carla Rodrigues

Em entrevista exclusiva à CULT, Judith Butler fala sobre seu diálogo com as obras de Hegel, Foucault, Derrida, entre outros

Judith Butler: Feminismo como provocação Marcia Tiburi

A filósofa norte-americana não tem medo do feminismo, tampouco de sua crítica ou de seus efeitos teóricos e práticos

TV Cult