Uma intelectual ameafricana

Edição do mês
Uma intelectual ameafricana
Lélia Gonzalez em Dacar, capital do Senegal, em 1979 (Foto: Acervo Lélia Gonzalez)
  Intelectual, feminista e militante antirracista, Lélia Gonzalez é figura paradigmática na esfera pública no contexto das lutas contra a ditadura militar e pela democratização do Brasil. Enredada numa teia complexa de personagens, temas e mobilizações contra o regime autoritário instituído com o Golpe militar de 1964, Gonzalez é personagem expressiva na história política do Brasil. Sua trajetória e seu pensamento só podem ser entendidos se considerarmos as dimensões coletivas que perfazem os protestos de rua, a imprensa alternativa, as organizações civis, as interações entre Estado e movimentos sociais e os partidos políticos na transição democrática do país.  Não só o ambiente nacional, mas também as grandes transformações culturais e políticas no mundo foram acompanhadas por Lélia Gonzalez, em particular aquelas ocorridas na América Latina, América do Norte e nos países africanos, a exemplo das lutas indígenas, das organizações antirracistas, dos movimentos de mulheres, das mobilizações pelos direitos civis, dos protestos dos Panteras Negras, além das lutas pelas independências nacionais e pelo fim do apartheid na África do Sul. Nessa teia complexa de ideias e redes transnacionais de ativismo, o pensamento de Lélia Gonzalez tem uma perspectiva democrática e plural, com horizonte anticolonial, antipatriarcal e de crítica ao capitalismo. Hoje, Lélia Gonzalez é referência para diversos coletivos antirracistas e organizações feministas no Brasil, porém seu pensamento ainda é pouco conhecido na academia nacio

Assine a Revista Cult e
tenha acesso a conteúdos exclusivos
Assinar »

TV Cult