Arthur Bispo do Rosário – A Poética do Delírio

Arthur Bispo do Rosário – A Poética do Delírio

Esquizofrenia, paranoia e emoção entram na arte surrealista de Bispo do Rosário para transformar vida em arte. Em busca das interpretações do imaginário coletivo, Marta questiona a classificação da arte de Bispo do Rosário como “bruta”, pois a referência dessa categorização seria a racionalidade artística. A autora prefere lidar com o desvio da racionalidade e a relação entre arte e vida. Para ela, “muitas vezes, a experiência artística nasce da interrogação da vida pela perspectiva da morte; para recuperar a história desse artista, é preciso falar da morte, ou melhor, analisar sua atitude perante a finitude da vida nos dá a dimensão da relação que sua obra tem com a vida”.

Arthur Bispo do Rosário – A Poética do Delírio
Marta Dantas
Trad.: Eduardo Henrik
Editora da Unesp
210 págs. – R$ 48,00

(4) Comentários

  1. Arthur, me inspira a cada dia, suas frases de loucura, nesta cidade que não para, me encantada ” Sou transparente, mas quando trabalho me encho de cores “, assim que me sinto quando produzo algo nesta cidade tão colorida em que vivemos.

  2. Arthur, me inspira a cada dia, suas frases de loucura, nesta cidade que não para, me encanta ” Sou transparente, mas quando trabalho me encho de cores “, assim que me sinto quando produzo algo nesta cidade tão colorida em que vivemos

  3. Duchamp , não precisou ser internado , talvez pela condição social que detinha, mas tal qual Bispo, trouxe uma nova significação a arte.Arthur Bispo , poderia ser avaliado dentro da linguagem semiótica de Greimas,pois o seu estado loucura poiético , trás uma fratura ao cotidiano artístico.

Deixe o seu comentário

TV Cult