Professor publica ‘mapa de leitura’ de Fernando Pessoa

Professor publica ‘mapa de leitura’ de Fernando Pessoa
O poeta português Fernando Pessoa (Arte: Revista Cult)

Ideia é guiar o leitor em meio a uma obra que, segundo o autor, pode ser considerada um desafio tanto à teoria da literatura, como à da edição

 

Fernando Pessoa publicou em vida um livro de poesia, três centenas de poemas soltos e uma centena de textos em prosa. O poeta lisboeta, morto em 1935, deixou também um conjunto de escritos não publicados: são 141 envelopes, 91 de textos inéditos. Somados aos seus rascunhos e anotações pessoais totalizam 30 mil documentos.

Criar um “mapa de leitura” capaz de guiar o leitor em meio a uma obra tão fragmentada é a intenção de Introdução ao estudo de Fernando Pessoa, recentemente publicado pela Ateliê Editorial. Segundo o autor Fernando Cabral Martins, que é professor da Universidade Nova de Lisboa, a obra do poeta pode ser considerada um desafio tanto à teoria da literatura, como à teoria da edição.

“Em todas as suas fases de escrita e de composição, na Lisboa do princípio do século 20 em que Pessoa viveu ou ao longo dos últimos oitenta anos em que a sua edição se foi fazendo, aquilo a que chamamos a ‘obra de Pessoa’ tem tudo a ver com o trabalho concreto de um escritor e de muitos editores”, afirma. “A dimensão textual, material, manuscritológica é essencial em Pessoa.”

No livro, ele ilumina o percurso da “vida escrita” do poeta por meio de um “esforço de interpretação mais literal possível”, ora enfatizando a importância de alguns textos ora apontando zonas de maior obscuridade – e como podem ser esclarecidas sem ter que atribuir-lhes um sentido único. O livro é destinado a estudantes, interessados em literatura em geral e àqueles que gostariam de “integrar as partes [da obra] no todo”:

“Mesmo que haja sempre, neste caso, uma dificuldade grande em fazer com que tudo faça sentido e as peças todas se encaixem umas nas outras. Porque Pessoa é um escritor complexo, e a sua própria grandeza impede qualquer arrumação mais ou menos aspirante a definitiva”, afirma.

Deixe o seu comentário

Setembro

TV Cult