Neofundamentalismo

Neofundamentalismo
Culto da Ignorância e crença útil Vamos definir como “neofundamentalista” certa postura de nossa época relativa à questão da verdade quando a verdade não é o que está em jogo. O conceito de fundamentalismo refere­‑se sobretudo à questões religiosas, mas se trata, no caso do neofundamentalismo, de um conceito mais extenso. Em todos os campos da vida em que a verdade possa estar em jogo, quem se posiciona como seu guardião corre o risco de ser neofundamentalista. Assim, podemos dizer que há fundamentalistas religiosos e ateus, há fundamentalistas na vida acadêmica, na moral, nas ciências e até no futebol. Diremos que é neofundamentalista aquele que não se importa “verdadeiramente” com a verdade. Seria uma espécie de neossofista, se ele usasse argumentos. Mas o neofundamentalista cultua a mais bruta ignorância, a que despreza o conhecimento. Se lembrarmos de Walter Benjamin definindo o capitalismo como religião, o neofundamentalismo analogamente corresponderia à ignorância como religião. Nele, o culto total e ininterrupto do não saber – enquanto desprezo pelo saber – não deixa espaço para nada que possa relacionar­‑se a algo como conhecimento. Imposta à força, a ignorância seria o sangue injetado diariamente nas veias anêmicas da cultura reduzida à sua indústria. Diálogo, uma postura aberta ao outro a partir da qual é possível o encontro com o conhecimento, com o que não está dado, não seria possível para o neofundamentalista. O fundamento do neofundamentalista não é mais o dogma, porque ele não parte de uma ve

Assine a Revista Cult e
tenha acesso a conteúdos exclusivos
Assinar »

Setembro

TV Cult