Estante Cult: Maya Angelou, Todorov, Roudinesco

Estante Cult: Maya Angelou, Todorov, Roudinesco
A escritora Maya Angelou, autora de 'Carta a minha filha', que sai pela editora Agir (Foto: Reprodução / PBS American Experience)
  Manual para a vida “Eu dei à luz uma criança, um filho, mas tenho milhares de filhas. Vocês são negras e brancas, judias e muçulmanas, asiáticas, falantes de espanhol, nativas da América e das ilhas Aleutas. Vocês são gordas, magras, lindas e feias, gays e héteros, cultas e iletradas, e estou falando com todas vocês. Eis aqui a minha oferenda.” Um manual para a vida endereçado a todas as mulheres que por ele se interessarem. Foi essa a generosa oferta de Maya Angelou a suas leitoras quando completou 80 anos de idade, em 2008 – e que agora retorna às livrarias brasileiras pela editora Agir. Escritora, ativista, artista e intelectual estadunidense, Angelou reúne neste livro fatos e lições que considerou úteis ao longo da vida: você não pode controlar tudo o que acontece ao redor, faça todo o esforço para modificar aquilo de que não gosta, nunca se lamente. A obra é um “convite à ternura”, como observa a autora mineira Conceição Evaristo no prefácio. Em 28 partes de relatos confessionais e algumas poesias, Angelou conta sua história e retira dela o substrato para discutir temas urgentes como estupro, racismo, violência doméstica e desigualdade. A dor que muitas vezes emerge da leitura é acompanhada por um sentimento de acalanto propiciado pela escrita, uma conjugação própria na produção literária dessa grande autora. João do Rio, Benjamin e Exu Em 42 pequenos ensaios, o escritor e historiador carioca Luiz Antonio Simas celebra as ruas como verdadeiras bibliotecas da história, terreiros de encontros imp

Assine a Revista Cult e
tenha acesso a conteúdos exclusivos
Assinar »

Fevereiro

Artigos Relacionados

TV Cult