Jean-François Lyotard: itinerário de leitura

Edição do mês
Jean-François Lyotard: itinerário de leitura
(reprodução)
  A fenomenologia (1954) Publicado em 1954, emerge como o marco inaugural na trajetória filosófica de Lyotard. A obra constitui uma imersão nos pilares essenciais da fenomenologia husserliana, bem como nos elementos característicos da fenomenologia de Merleau-Ponty, reconstituindo, assim, o diálogo que deu origem ao pensamento fenomenológico. Este texto introdutório desempenha um papel crucial para aqueles que almejam uma compreensão alargada do movimento fenomenológico e de sua abrangência epistemológica e ontológica. A fenomenologia  Edições 70, 2008, 136 páginas Por que filosofar? (1964) É uma série de quatro palestras proferidas por Lyotard em 1964, destinadas aos estudantes de propedêutica na Universidade de Sorbonne, com o intuito de servir como uma introdução ao estudo da filosofia. Nessas palestras, Lyotard delineia os primeiros momentos de seu pensamento, demonstrando sua conexão com a concepção lacaniana de desejo e sua tentativa de abordar a relação entre filosofia, desejo, falta e amor a partir de uma perspectiva socrática-platônica. Dotadas de uma singular eloquência acadêmica, as palestras de Por que filosofar? representam uma porta de entrada excepcional para o vasto universo filosófico de Lyotard. Por que filosofar Parábola Editorial, 2014, 112 páginas A condição pós-moderna (1979) Nessa obra, mergulhamos em uma profunda reflexão sobre a questão da legitimidade no contexto contemporâneo. O autor questiona os fundamentos que sustentam a justiça das leis e a veracidade das decla

Assine a Revista Cult e
tenha acesso a conteúdos exclusivos
Assinar »

TV Cult