E o tempo se desdobrou

E o tempo se desdobrou
Arrigo Barnabé, Lívia Nestrovski e Luiz Tatit (Foto Gal Opiddo)
  Para frente, sempre para frente... Mas às vezes, simultaneamente, para trás. Depois de trinta anos de atividade, finalmente aconteceu o encontro de dois nomes emblemáticos da Vanguarda Paulista, o dodecafônico pop Arrigo Barnabé e o cantor-falante Luiz Tatit, do Grupo Rumo, registrado no álbum De nada mais a algo além. Lançado em novembro  de 2014 pela gravadora Atração, o projeto nasceu por esporte em 2011, quando Arrigo pediu que Tatit musicasse uma valsa inédita, “De cor”, nos bastidores de shows em homenagem a Nelson Cavaquinho e Assis Valente. A brincadeira se estenderia por todo o ano seguinte, consolidada séria com a gravação ao vivo em março de 2013. Além da mistura inusitada das composições de Barnabé com as letras de Tatit, a parceria revela um terceiro pilar: a brilhante cantora Lívia Nestrovski, de vinte e sete anos. Cogitada inicialmente entre outras vozes femininas do porte de Ná Ozzetti e Zélia Duncan para dar vida às catorze faixas do disco, acabou assinando a capa do álbum com os bambas da Vanguarda, tamanha sua capacidade interpretativa, conforme detalha Tatit: “Ela canta essas coisas quase que com leitura direta na partitura, coisa muito rara... Única! Não conheço outro caso de cantora que leia a melodia pela partitura, não existe isso no Brasil”. Para Arrigo, a moça já se destacava na graduação de música da Unicamp, quando fizeram primeiro contato. Desde 2011, então, ela vem acumulando experiência de palco com a trupe cênico-musical Claras e Crocodilos do compositor paranaense. “Chamamos a Lívia

Assine a Revista Cult e
tenha acesso a conteúdos exclusivos
Assinar »

Setembro

Artigos Relacionados

TV Cult