Arte e apocalipse

Arte e apocalipse
Museu de Arte Contemporânea de Niterói (Foto: Vitaliy e Elena Vasilieva)
  Os fotógrafos ucranianos Vitaliy e Elena Vasilieva concebem no projeto fotográfico Apocalipse na arte uma visão do fim do mundo baseada na imagem de cinco famosos museus destruídos por cataclismos naturais. Radicados na França, Elena – nascida em 1975, com formação em Design – e Vitaliy – nascido em 1966, graduado em História – discutem a rejeição da natureza à cultura humana. Para o expert brasileiro Ricardo Chaves Fernandes, curador da exposição, “através da arte o homem se torna apocalíptico, colocando-se no centro do universo e desmistificando as religiões antigas, desfragmentando o incompreensível para tornar-se seu próprio Deus”. As imagens de Apocalipse na arte convidam o observador a experimentar um estado de confusão, propondo-lhe a ideia de que a destruição dos mundos da arte e da cultura talvez nada mais seja do que uma visão realista de nossas vidas. A revista CULT conversou com o casal de fotógrafos, cujo trabalho não tem previsão de chegar ao Brasil. CULT - Qual é a proposta da mostra? Vitaliy & Elena Vasilieva - Somos avessos ao exercício da provocação e do choque em que a arte contemporânea está interessada. No entanto, sem essa provocação, o mundo parece excessivamente agressivo e severo. Cada pessoa entende o papel da arte à sua própria maneira. Nosso objetivo é encontrar uma luz interior, exibir algo de íntimo. Acreditamos na estética e na expressão da beleza através de todo o campo artístico que conseguimos influenciar com nosso trabalho. Sobretudo porque nós somos completamente pro

Assine a Revista Cult e
tenha acesso a conteúdos exclusivos
Assinar »

Setembro

TV Cult