A pluralidade da condição humana

A pluralidade da condição humana
Celso Lafer (Reprodução)
  Professor titular aposentado da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, ex­‑ministro das Relações Exteriores do governo Fernando Henrique Cardoso, ex­‑embaixador do Brasil em Genebra e membro efetivo da Academia Brasileira de Letras são algumas das atividades exercidas pelo jurista Celso Lafer; poucos talvez conheçam uma relevante passagem de sua biografia: aos 24 anos de idade, ele foi aluno da filósofa alemã Hannah Arendt no curso de pós­‑graduação em Ciência Política na Universidade de Cornell, nos EUA. Na entrevista a seguir, ele relembra a experiência de conviver com uma das maiores pensadoras do século 20. CULT: O senhor foi um dos responsáveis pela introdução do pensamento da Hannah Arendt no Brasil na década de 1970, depois de ter sido aluno dela nos Estados Unidos. Celso Lafer: Eu fui aluno dela nos Estados Unidos em 1965. Ela foi professora visitante em Cornell, no período em que estudei Ciência Política.  Era um curso de pós­‑graduação? Com que tema? lafer Era um seminário de pós­‑graduação, com poucos alunos, cerca de vinte, e tínhamos essas aulas em uma sala muito simpática localizada na grande biblioteca de Cornell. O curso que ela ministrou – “Experiências políticas do século 20” – era uma espécie de biografia imaginária de alguém que nasceu no fim do século 19 e passou pelas grandes experiências do século 20 até o ano em que estávamos: a Revolução Comunista, a Primeira Guerra Mundial, a Crise de 1929, a ascensão do nazismo, o stalinismo, a Guerra Civil Espanh

Assine a Revista Cult e
tenha acesso a conteúdos exclusivos
Assinar »

Setembro

TV Cult