Política vodu

Política vodu
Um trocadilho neoliberal para Temer Economia vodu é um termo utilizado por alguns teóricos, como David Harvey, para falar de um tipo de economia falsa. Podemos falar em política vodu para pensar a política falsa, aquela que não tem como objetivo a questão social básica à democracia, mas que serve à economia privada. Toda política tem seu instante ficcional, como tragédia, como farsa, mas, no caso da política vodu, está em jogo o conto ou o filme de terror e um enredo macabro. Garantir o papel submisso e servil da política à economia, ela mesma garantia de riqueza para aqueles que detêm poder, é fundamental ao seu programa. A política vodu dá medo. Medo é o seu método. Do genocídio que con- tinua a acontecer em países do mundo (vejamos o que se dá na África, no Congo hoje em dia) à tortura e à política de choque econômico nos diversos países da América Latina e na periferia do mundo, vivemos a política como quem assiste a um filme de terror: a próxima cena pode ser pior do que a que acabamos de ver. Apavorados, sabemos que podemos nos tornar personagens. Em certo sentido, as palavras de Maquiavel já enunciavam: se um governante não pode ser amado por seu povo, deve se fazer “temer”. Falar de política implica falar de atores e falar de vodu implica falar de feitiço e de bonecos que transmitem o feitiço. Estamos diante de uma hibridação que modifica a condição política do personagem. Na política vodu, um político não é mais uma pessoa simplesmente. O político vodu é um boneco bizarro. Seu discurso ve

Assine a Revista Cult e
tenha acesso a conteúdos exclusivos
Assinar »

TV Cult