Que civilização é essa?

Que civilização é essa?
Xarlô Andrade, diretor, compositor e intérprete, autor de Manifesto Makumbacyber (Reprodução)

 

O que será do nosso Abandono Civil?

O que ocupará o Vazio do soco instaurado na boca do estômago desse País?

O que será de cada 1 de Nós, Refugiados sem leis?

O que é lei?

Que LED alumiará essa Encruzilhada sem luz, onde nos encontramos nesse Exato momento?

Quem nos guiará pelos labirintos que não levam a lugar algum?

Quem se livrará dos Abismos?

Quem conduzirá o Navio Negreiro desgovernado?

Quem ousará ser o que realmente É?

Quem se guiará pelo o que realmente Sente?

Quem ousará Emergir?

Quem interromperá a Dança Macabra que orquestramos, no mórbido Baile de Máscaras que é a “sociedade” que fundamos?

Quem devolverá a Saúde da cristalinidade das Águas… a exuberância  da Floresta Intacta?

Quem cessará a multiplicação dos Bois, se eles já são hoje, uma População Maior que a Fome Canibal Humana?

Quem decantará o Veneno do Solo que nos ampara e sustenta a Todos, do Ar, do Prana, da tela panorâmica dos Olhos já Cegos de tanta Barbárie? TODOS os lugares do Planeta e suas Famílias estão Tatuados de Sangue. É uma Marca Sádica, é uma Ancestral Purgação, é o aniquilamento da nossa Espécie, é evidente e diária a presença da Morte e sua foice.

A Linguagem, nossa Espinha Dorsal, foi ultrajada. Os tecidos celulares dos Grãos foram ultrajados no seu cerne.  O Pensamento Evolutivo, a Ética e a Palavra dos homens foram ultrajados. As Tradições e os Ritos foram ultrajados.

Na ausência de horizonte, nos miramos dias inteiros, semanas, anos a fio num Espelho sem rosto. TODOS, literalmente TODOS, de cabeças baixas, submissos, adestrados e cegos pela luz artificial desse “oráculo”, mais uma muleta de tantas outras que carregamos. Um paredão-obstáculo entre nós e a Pura Contemplação. Nossa Voracidade Ansiosa quer clicar sem trégua, na ilusão de aprisionar tudo, perdemos a dimensão do que significa a palavra ÍNTIMO. Na esperança de que uma boa nova nos tire do Vazio, com a ponta dos dedos, aplicamos diárias e intermináveis sessões de shiatsu em máquinas alheias ao nosso contato. Infantilizados punheteiros sequelados por movimentos repetitivos!

Gastaremos o prêmio da mega sena em toneladas de cremes rejuvenescedores, que nos aliviem a Máscara de Perplexidade e Horror estampada no rosto de cada 1, diante do dramático filme diário que Protagonizamos. SOMOS, enquanto nação, uma Escola de Samba de  desvalidos de enredo Trágico. O Roteiro, deixaremos à mercê dos nossos computadores editarem…

Estamos irremediavelmente nas mãos dos ratos que se entocam no hospício do planalto, esses vampiros engravatados, com suas presas envenenadas fincadas na jugular do Brasil, ou ainda dos clandestinos, que através da autoritária força bruta, nos mantém no cabresto e nos tiram o direito de ir e vir. Psicopatas Egóicos armados até os dentes, esses Espectros semeadores das Trevas Coletivas, esses Espíritos sem Luz. Eles nos fazem abortar nosso direito impar de nos sentirmos Cidadãos de Bem! A espetacularização de toda essa Escuridão é vomitada na cara da nação por esses Canalhas usurpadores da Raiz mais profunda que são nossos DIREITOS HUMANOS! Doentes Terminais sem Cura, Leprosos vestidos de Armani, são eles: “os urubus que passeiam a tarde inteira sobre os girassóis”, que a geração dos anos 70 enfrentou com Música, Teatro, Literatura, Poesia, Cinema, intermináveis reuniões na UNE, Artes Plásticas, Dança, desbunde, compromisso e desejo realmente Democrático de Paz, Sol, Amor Livre, Tambor, libido, Utopias Concretas e LIBERDADE!

Eles tramam nas sombras a Extinção e o Aniquilamento do nosso Legado Primordial, nossa Originalidade e Riqueza Cultural, como Povo da Floresta!

É desolador constatar que enquanto “sociedade” SOMOS também Bélicos, Medievais, Perversos, Cínicos, Esnobes, Escravocratas, Selvagens – no sentido eclipsado dessa Palavra, Violentos Devoradores da VIDA! SOMOS responsáveis pela Absurda infinidade de Plásticos que consumimos, ter como Destino as Vísceras dos Animais no fundo-profundo dos Oceanos e, como consequência, a EXTINÇÃO de infinitas formas de VIDA! Nossa Atitude Predatória, NOSSO Descompromisso com o Semelhante e o Meio Ambiente que nos Abriga gerou Doenças Físicas, Psíquicas, Perdas de Rota, Cataclismas, Aterros Sanitários Vomitando os Resíduos que Geramos e Tsunamis principalmente INTERNOS.

Nos achamos o centro da GALÁXIA e um Mosquito pode nos Exterminar!

A engrenagem do nosso “parque de diversões” é infantilizada, oscila entre “poder”, dinheiro, autoritários, submissos, bandido e mocinho. SOMOS Reféns Indefesos, Escravos de máquinas, de Conceitos Ultrapassados, de Escaninhos que não nos cabem mais, de Ícones e Ídolos Ocos, alheios ao Princípio Natural das coisas.

Conseguiremos sobreviver sem conflito, sem turbulência, sem caos?

Estamos irremediavelmente doentes da Alma em camadas e em zonas muito profundas…

Temos Desejo por nossas Crianças e Violentamos seus Direitos de experienciarem seus Ritos de Passagem. SOMOS Predadores da própria ESPÉCIE…

A Energia Planetária se tornou tão extremadamente Yang, que o Yin, o Feminino, o Elemento Água, se escondeu, se exauriu… E, munidos de toda nossa “virilidade”, do nosso “conhecimento-Google”, SOMOS hoje mundialmente Personagens de Graciliano Ramos, mendigando sedentos por um copo d’água para hidratar nossas “Vidas Secas.”

                “Eles ainda vencem…”

O Obscurantismo é Planetário e nele está imerso o verdadeiro Espírito do Brasil de hoje.

Quem afinará a melodia da Existência?

Gritos cívicos e apaixonados de “gooooool” vindos de todos os lados invadem esse texto triste. Abatido e perplexo abaixo a tela do computaDOR e testemunho mais uma vez que só nessa hora esse Fervor Coletivo, essa Manifestação-humana-Única de Devoção, Amor, Paixão e Coletividade é Explicitamente Revelado.

Repetimos como humanidade o Mantra Trágico da Falência e do Extermínio, como aconteceu na Ilha de Páscoa e em outras tantas Civilizações que se Extinguiram… Tudo de Trágico já aconteceu em nossa “civilização” e tenho certeza de que só nos resta o TRABALHO Sutil e PROFUNDO de RESSIGNIFICAR TUDO de NOVO e, principalmente, o REAL SIGNIFICADO de EXISTIR.

É Urgente Purificar a NASCENTE!

 

“São João, São João, acende a fogueira do meu coração”

(6) Comentários

  1. Fácil, fácil se apaixonar por Xarlô e seus textos. O dom da palavra pra ele é tão instintivo como respirar… Seu texto, ainda que duro e intensamente sofrido, me deleita, também pelo que foi dito, mas pelo como falar. Adoro ver e ouvir e interagir com vida inteligente.

  2. Bira de São Paulo.
    Amigo o seu manifesto é real em nosso viver.que está nação seja tocada e aconteça um reboliço para que nossas próximas gerações sofram menos com o descaso que passamos…. Abraço Bira&art’s cabeleireiro.

  3. é que a partir da nossa chegada
    a melodia da existência
    se tornou desafinada

    e vai sumindo
    se apagando
    até que não reste
    mais nada…

Deixe o seu comentário

Novembro

TV Cult