Há 165 anos perdida, novela de Walt Whitman é recuperada por pesquisador americano

Há 165 anos perdida, novela de Walt Whitman é recuperada por pesquisador americano
O poeta norte-americano Walt Whitman, considerado pai do verso livres (Foto: Reprodução)

 

‘Vida e aventuras de Jack Engle: uma autobiografia’ foi publicada sem autoria no jornal New York Daily Times; leia texto na íntegra

 

“Poeta da América… ele é a América”. Assim Ezra Pound, um dos mais importantes escritores do modernismo norte-americano, definiu o poeta, ensaísta e jornalista Walt Whitman (1819-1892), que acaba de ter uma novela perdida recuperada por Zachary Turpin, doutorando em língua inglesa na Universidade de Houston, no Texas. Intitulado Vida e aventuras de Jack Engle: uma autobiografia [em inglês Life and adventures of Jack Engle: an autobiography], o texto havia sido publicado há 165 anos no jornal New York Daily Times sem qualquer tipo de autoria.

Foi vasculhando quarenta anos de notas pessoais de Whitman que o pesquisador se deparou com um diário particularmente interessante em que o poeta citava personagens até então desconhecidos: Wigglesworth, Smytthe e Jack Engle. Turpin cruzou digitalmente esses nomes com publicações norte-americanas de meados do século 19 e encontrou um anúncio das aventuras de Jack Engles no Daily Times. Quando conseguiu acesso aos textos, digitalizados pela Biblioteca do Congresso, percebeu que apesar da diferença no formato e no conteúdo do texto – bem diferentes dos trabalhos consagrados de Whitman – a linguagem era basicamente a mesma.

Com o subtítulo “Uma história de Nova York no tempo presente”, a novela narra a vida de Engle, um jovem órfão e pobre, e sua relação com a amiga Martha, adotada por um advogado que tenta roubar seu dinheiro. Em entrevista ao Washington Post, Turpin afirmou que o texto é “ousado e fascinante, com tudo que o leitor poderia querer, incluindo um mistério na cidade, um namoro sensacionalista, um vilão e um pouco de sangue e intestinos”. Para o pesquisador, Whitman ocultou sua autoria pois queria esconder o interesse que tinha pela ficção e pelo jornalismo.

Início da novela “Vida e aventuras de Jack Engle: uma autobiografia” (Reprodução)

Considerado o pai dos versos livres, Whitman influenciou desde escritores como Bram Stoker, autor de Drácula, até Allen Ginsberg e Jack Kerouac. Editor da revista The Walt Whitman Quarterly Review, da Universidade do Iowa, Ed Folsom disse ao NY Times que “ler essa novela é como assistir a uma oficina de um grande escritor, em que estamos descobrindo o processo de descoberta de Whitman”.

Professor da Graduate Center of the City University of New York, David S. Reynolds afirmou que uma das grandes vantagens dessa descoberta é ter a oportunidade de entender como um jornalista e escritor convencional transformou-se no autor do verso sensual, filosófico, selvagem e experimental de Folhas de relva (1855).

O pesquisador Zachary Turpin, que já havia descoberto, em abril de 2016, outra novela seriada perdida de Whitman, Manly Health and Training, agora busca um dos trabalhos desaparecidos mais conhecidos do poeta: a longa novela The sleeptalker. Sua mais recente descoberta, Vida e aventuras de Jack Engle, está sendo transformada em livro pela Universidade de Iowa – que já disponibilizou o texto na íntegra na internet.

Deixe o seu comentário

Novembro

TV Cult