Variações sobre o narcisismo

Edição do mês
Variações sobre o narcisismo
Arte Andreia Freire
  “Me decepcionei com você.” A esse comentário, a única resposta decente é: “Problema é seu”. É preciso estar atento contra as tentativas de controle pelo narcisismo. Funciona assim: a pessoa enaltece em você qualidades e condutas que interessam ao desejo dela. E assim espera que você se comporte da maneira que, no fundo, é vantajosa para ela. Tenta prendê-lo por uma imagem. Mas essa imagem de você foi feita à semelhança do desejo dela, e não necessariamente do seu. Então, se você age em desacordo com essa imagem, vem a moralização vitimada: “Me decepcionei com você”. Pois bem: “Problema é seu”. ___ Quem chama de “pedante” alguém que escreve “difícil” (difícil para quem?) mobiliza um álibi moral para uma reação, no fundo, imaginária: sente-se diminuído porque sua incompreensão revela sua ignorância – e procura recalcar isso projetando no outro seu sentimento de inferioridade. De resto, é absurdo moralizar o que não se compreende. ___ “Afinal, o que as mulheres querem?” Como se se soubesse o que querem os homens! (Na verdade, trata-se de controle patriarcal por meio de certa imagem do desejo – estável, previsível, domesticável – que a alguns homens interessa que as mulheres realizem.) ___ O contentamento é narcísico, a alegria é impessoal. ___ A tendência a torcer pelo mais fraco tem duas explicações, uma via psicanálise, outra via teoria da informação: escolhe-se o pior por compensação narcísica (sentir-se menos inferior por meio do rebaixamento do superior)

Assine a Revista Cult e
tenha acesso a conteúdos exclusivos
Assinar »

TV Cult