Mostra de capas da CULT inaugura novo prédio do Centro Universitário Maria Antonia em SP

Mostra de capas da CULT inaugura novo prédio do Centro Universitário Maria Antonia em SP Edição nº 1, de 1997 (Foto: Osvaldo Salas) e nº 220, de 2017 (Ilustração: Gilberto Maringoni)

 

Entra em cartaz na próxima semana, no Centro Universitário Maria Antonia, da Usp, a exposição CULT 20 anos – Para ver como são as coisas. A ocasião marca a inauguração do Edifício Joaquim Nabuco e encerra as comemorações de duas décadas da mais longeva revista de cultura do país – iniciadas em julho, com a publicação do livro CULT 20 anos: melhores entrevistas pela editora Autêntica.

A parceria, segundo o professor José Nicolau Gregorin Filho, vice-diretor do Maria Antonia, vem do “reconhecimento de trajetórias que se somam”, já que tanto a revista quanto o órgão de cultura e extensão da Usp têm a missão de divulgar conhecimento, cultura e arte em parceria com a pesquisa acadêmica.

“Trata-se de pessoas interessadas em cultura com a mesma generosidade – porque é generoso estender os limites da universidade e fazer dela a protagonista das nossas ações”, afirma a professora Myrna de Arruda Nascimento, diretora do espaço.

Entre as 228 edições publicadas desde julho de 1997 até outubro de 2017, a curadoria teve a tarefa de escolher vinte capas que fossem capazes de representar a diversidade de temas já trabalhados pela revista ao longo da sua trajetória.

Foram escolhidas as que, entre muitas, buscaram refletir a respeito de “problemas profundos da sociedade no nível do sentimento, das emoções ou da política”, afirma o vice-diretor. Aparecem, por exemplo, discussões sobre gênero, mídia e poder, política como encenação e sobre os caminhos da cultura brasileira.

Com essa mostra a CULT nada mais faz do que ir ao encontro de uma instituição a cuja parceria ela parece já estar destinada desde sua criação: o Centro Universitário Maria Antonia, em cujas atividades de cultura e extensão a revista se vê plenamente representada.

Instalado nos edifícios históricos da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Usp, o espaço é uma referência nacional e oferece cursos, palestras, debates e seminários, além de manter um programa com mais de vinte mostras de arte por ano. Abriga também a Biblioteca Gilda de Mello e Souza, com livros sobre artes, estética e história da arte que pertenceram à primeira docente de Estética da FFLCH-Usp.

Com uma circulação em âmbito nacional, a CULT é uma publicação conhecida por sua independência editorial – e é mantida por seus leitores, sem vínculos com leis de incentivo. De olhos fixos nos próximos vinte anos, a revista muito se orgulha de examinar o que lhe coube fazer nas duas últimas décadas.

Para que o público que transita pelas dependências do Centro Universitário Maria Antonia veja as coisas que nos mobilizam e convidam à prontidão crítica. Como nos ensina o poeta José Paulo Paes: “Cultura não é o que entra pelos olhos, é o que modifica o olhar”.

A mostra CULT 20 anos –Para ver como são as coisas integra o evento Mutarte Mutante, que reúne ainda cinco mostras individuais: Experimento, de Anita Colli; Papyrus Têxtil, de Eunice Liu; Encyclopaedia, de Feres Khoury e Pina in memorium, de Helmut Schippers.

CULT 20 anos – Para ver como são as coisas

Curadoria: Juliano Moraes
Onde: Centro Universitário Maria Antonia/ Usp; rua Maria Antonia, 294, Vila Buarque, São Paulo – SP
Quando: de 17/10 a 18/3/2018; terça a domingo e feriados, das 10h às 18h
Quanto: grátis

Deixe o seu comentário

TV Cult