‘É polêmico dar nome aos bois, mas é nossa luta’, diz membro de banda censurada na TV Cultura

‘É polêmico dar nome aos bois, mas é nossa luta’, diz membro de banda censurada na TV Cultura A banda Aláfia (Foto: Edu Pimenta/Divulgação)

Trecho de música que fazia críticas a Alckmin e Doria foi cortado da edição final do programa Cultura Livre exibido na quarta (12); emissora lamenta ‘polêmica’ em torno da ação

 

Na madrugada do dia 12 de abril, a banda Aláfia encerrou o programa Cultura Livre com a canção “Liga nas de Cem”. A letra, que trata de racismo, critica a administração estatal e denuncia a desigualdade social em São Paulo, teve a última parte de seus versos cortada – justamente o trecho em que menciona o governador Geraldo Alckmin e o prefeito João Doria: “Liga nas de cem que trinca/ Nas pedra que brilha/ Na noite que finca as garra/ SP é fio de navalha/ O pior do ruim/ Dória, Alckmin/ Não encosta em mim playboy/ Eu sei que tu quer o meu fim”. 

“Eu estava assistindo ao programa e, no finalzinho, percebi que o trecho que fala de Doria e Alckmin tinha sido não só cortado, mas substituído por outra parte da canção, em que ficamos quietos. Além de ser um desrespeito e uma censura, ficou estranho”, afirmou Jairo Pereira, um dos fundadores e vocalista da banda, à CULT“É polêmico dar nome aos bois? Sim. Mas a Aláfia trabalha com assuntos que, infelizmente, são polêmicos, como injustiça social e racismo. Essa é a nossa luta”, defende o músico. 

Pouco depois do programa ir ao ar, a banda se posicionou em sua página no Facebook. “Sabemos que essa atitude não é natural do programa Cultura Livre, e imaginamos que também estejam indignados com essa decisão da TV Cultura em vetar nossa fala”. A emissora é mantida pela Fundação Anchieta, atrelada ao governo do Estado de São Paulo.

“Queríamos que essa censura fosse extinta, mas já sabemos que ela existe e está presente todos os dias, principalmente quando a mídia ignora mortes dos negros na periferia”, critica. “Depois disso tudo, percebi que é verdade: não pode falar nome feio na TV”.

De acordo com o músico, mesmo depois da polêmica ter viralizado nas redes sociais, a emissora não procurou a banda para oferecer explicações: “Ficamos tristes. É um programa importante para a música popular brasileira, e a Cultura não se manifestou, não fomos procurados por ninguém”. 

Em seu perfil pessoal, a apresentadora do programa, Roberta Martinelli, afirmou que a música foi editada sem seu conhecimento: “Jamais censuraria qualquer tipo de posicionamento político, editaria ou tiraria vídeos do ar por motivo de livre manifestação. Não aprovo tal prática. Não existe semi-liberdade. Eu sempre defendi e defenderei a cultura livre”. O vídeo com a apresentação na íntegra foi retirado do YouTube.

Procurada pela CULT, a TV Cultura confirmou a edição. Em nota, a emissora disse que carrega o dever de não utilizar a programação de arte e cultura para fins partidários. “Temos a constante preocupação de não difundir ideias ou fatos que incentivem a polarização, independentemente do indivíduo a quem esse discurso se destina. A emissora valoriza a liberdade de expressão e lamenta a polêmica gerada em torno desta ação”.

Deixe o seu comentário

Novembro

TV Cult