Ruth Escobar simbolizou a resistência da cultura brasileira, diz Sérgio Mamberti Paulo Henrique Pompermaier

Ator, diretor e político relembra a trajetória da atriz e produtora cultural, que morreu nesta quinta (5), aos 81 anos, em São Paulo

Peça que traz Jesus travesti tem ingressos esgotados após sofrer censura em Jundiaí Helô D'Angelo

Apresentação foi cancelada após liminar de juiz que considerou conteúdo “atentatório à dignidade da fé cristã”; em Santo André, Sesc chegou a abrir lote extra de convites

Comédia de horror e de costumes Welington Andrade

Em Kiev, adaptado da peça do uruguaio Sergio Blanco, Roberto Alvim investiga a atuação dos membros de uma família como um modelo em miniatura do Estado

Escrita aos 23, peça inédita de Haroldo de Campos é publicada 65 anos depois Paulo Henrique Pompermaier

‘Graal – legenda de um cálice’ antecipa temas e procedimentos textuais que seriam melhor desenvolvidos por Campos anos mais tarde na poesia concreta

Conceitos de Deleuze em ‘Mil platôs’ são levados ao palco por companhia de SP Paulo Henrique Pompermaier

Espetáculo ‘1001 platôs’, da Taantateatro Companhia, busca inspiração na obra do filósofo Gilles Deleuze e do psicanalista Félix Guattari

Matéi Visniec: O artista é indispensável porque é o perturbador profissional da banalidade Paulo Henrique Pompermaier

De passagem pelo Brasil, o dramaturgo romeno defende a necessidade de artistas participarem do debate político e social: ‘Acho inaceitável que a voz desses atores da realidade seja inaudível’

A elegia que nos cabe nestes eróticos trópicos Welington Andrade

ou A dor, a glória e o gozo de vivermos no Brasil dias antes deste imenso manguezal secar totalmente Quando Zé Celso Martinez Corrêa subiu ao palco do Teatro São Pedro em fevereiro deste ano para receber o Prêmio Governador do Estado Para a Cultura 2014, não somente pela encenação da Odisseia Cacildas, que o … Continue lendo “A elegia que nos cabe nestes eróticos trópicos”

Umas e outras tantas Amanda Massuela

Nos palcos e fora deles, a encenadora e atriz Tânia Farias vive em constante simbiose com suas personagens: mulheres que fizeram ouvir suas vozes, mesmo que a gritos “A gente dormiu duas horas esta noite.” É o primeiro dia de apresentação do espetáculo O amargo santo da purificação em São Paulo. Às 15 horas, a peça … Continue lendo “Umas e outras tantas”

Por um teatro que coloque o mal em cena Alexandre Dal Farra

Não me interessa tanto um teatro que mostre como o mundo deveria ser, mas sim que possibilite que olhemos justamente para o que o ele não deveria ser (mas ainda é)

A fantasmagoria do branco Welington Andrade

O teatro como meio privilegiado para discutir racismo, branquitude, hierarquia social e poder

TV Cult