Crítica e rememoração

Há cem anos, no dia 11 de setembro, nascia Theodor Ludwig Wiesengrund-Adorno, o filósofo que articulou crítica do conhecimento, crítica social e crítica de arte em um pensamento expresso sob a forma errante do ensaio e escrito sob o impacto das catástrofes históricas do século XX. “A contemplação não-violenta, de onde vem toda a felicidade … Continue lendo “Crítica e rememoração”

O anatomista da palavra

Autor de uma obra freqüentemente comparada à do romancista francês Marcel Proust, Pedro Nava construiu, com sua prosa poética, ícones verbais que materializam o rumor da língua e a auscultação do corpo.   Pedro Nava tem ouvido de poeta e olho de pintor. Foi poeta bissexto, embora não seja de seus poemas que vou tratar … Continue lendo “O anatomista da palavra”

A via crucis do escritor gay

O autor do romance Trem fantasma, de temática homossexual, fala das dificuldades que um escritor gay enfrenta para conseguir editar suas obras, vencer a resistência dos livreiros e a má-vontade da crítica.  Carlos Hee  A pergunta que se faz, quando se analisa uma obra literária de temática homossexual, é: existe, no Brasil, uma literatura gay? … Continue lendo “A via crucis do escritor gay”

As ilusões perdidas

As quatro peças escritos por Chico Buarque – Roda viva, Calabar, Gota d´água e Ópera do malandro – aliam as questões sociais às mais altas temperaturas líricas, permitindo rediscutir os rumos do musical brasileiro e do  teatro de vocação política Fernando Marques A história dos embates sociais no Brasil tem sido marcada, desde sempre, pela … Continue lendo “As ilusões perdidas”

Apocalipse estético: Ameryka da fome, do sonho e do transe

Que tipo de forças (políticas, estéticas) podem ser desencadeadas pela fome, pela violência e pela miséria latino-americanas? Poucos artistas contemporâneos colocaram essa questão (hoje finalmente tornada uma questão de governo) de forma tão complexa e original quanto o cineasta Glauber Rocha. Numa torção radical, e abandonando um discurso político-sociológico corrente na década de 60 e … Continue lendo “Apocalipse estético: Ameryka da fome, do sonho e do transe”

Sendas do homoerotismo

A experiência homossexual está presente em todas as épocas da literatura ocidental, compreendendo desde a exaltação greco-latina da beleza e da juventude até a carga simbólica de subversão presente em Sade e, a partir do século XIX, a busca de uma inacessível vivência individual presente nas obras de Walt Whitman, Oscar Wilde, André Gide, Virginia … Continue lendo “Sendas do homoerotismo”

O apóstolo do individualismo

Em entrevistas e palestras, Faulkner defendeu uma fidelidade ao indivíduo que está na raiz do caráter multifacetado de suas personagens e em sua recusa a fazer da literatura um instrumento político Um demônio fez William Faulkner virar escritor. Um de­mô­nio interior, que lhe inspirava a necessidade de escrever, arrebatava-o e o mantinha até o final … Continue lendo “O apóstolo do individualismo”

Iê-iê-iê, alegria, alegoria

O maestro, compositor e arranjador Júlio Medaglia fala sobre a importância que os Beatles tiveram para movimentos de renovação da música brasileira como a Jovem Guarda e o tropicalismo

O sagrado no cinema Luiz Nazário

    Ao longo da história do cinema, diversos artistas tentaram captar e transmitir o sentimento metafísico, perscrutando os desígnios de Deus. Especialmente preocupado com os aspectos morais da religiosidade, o dinamarquês de formação luterana Carl Theodor Dreyer desenvolveu uma verdadeira estética do Sagrado. Órfão de uma mãe solteira que teve o corpo retalhado por … Continue lendo “O sagrado no cinema”

Filosofia e mística em Simone Weil

A pensadora francesa que viveu os dilaceramentos da Segunda Guerra Mundial encontrou na vulnerabilidade da carne humana um caminho para a união com Deus e para a redenção Maria Clara Lucchetti Bingemer  Simone Weil (1909-1943) nasceu em Paris, filha de uma família de origem judaica. Seu pai era um médico da Alsácia e sua mãe, … Continue lendo “Filosofia e mística em Simone Weil”

Novembro

TV Cult