Literatura – Lançamentos

Literatura – Lançamentos

Infortúnios do poder

O assassinato do lendário rei de Micenas já inspirara Ésquilo a escrever a tragédia Agamêmnon. Meio século depois, Sêneca criou sua versão homônima. Contudo, diferentemente do modelo grego, no qual forças externas e imponderáveis regiam o destino do homem, a poesia trágica senequiana caracteriza-se essencialmente pela subjetividade. Os infortúnios são todos decorrentes de conflitos internos, restritos ao âmbito psicológico. Em Sêneca, a morte de Agamêmnon é contada sob dois prismas distintos. Primeiramente, o assassinato é veiculado à perpetuação do ônus de crimes através de várias gerações da família do rei. Posteriormente, o evento é representado como consequência das ações empreendidas pelos gregos chefiados por Agamêmnon. A edição bilíngue conta com a tradução de José Eduardo dos Santos Lohner, professor da USP, que assina também o posfácio, o qual traz a cronologia da vida de Sêneca, além de notas esclarecedoras sobre a produção e história da obra.

Agamêmnon – Sêneca – Trad.: José Eduardo dos Santos Lohner – Globo – 256 págs. – R$ 29

Lirismo despido de ornamentos

Ao publicar seu segundo livro, Rosário (1914), Anna Akhmátova (1889-1966) conquistou lugar seleto na produção literária russa da época. Sua poesia despertou a atenção devido o intenso lirismo expresso em uma linguagem concisa, direta, alheia a ornamentos. “Suas imagens conseguem ser, ao mesmo tempo, simples e profundas, dizendo tudo com simples alusões”, afirmou certa vez o poeta chileno Nicanor Parra. O presente volume reúne os principais poemas da autora, cuja biografia foi marcada pelo sofrimento. Perseguida durante o stalinismo, viu seu filho ser preso e seu primeiro marido ser fuzilado em campo de concentração. Sua obra, por conseguinte, tornou-se um dos mais tocantes testemunhos literários ante a barbárie e a opressão política. A edição de bolso, da L&PM, tem o mérito de unir o preço acessível ao esmero na tradução, feita diretamente do russo por Lauro Machado Coelho.

Antologia poética – Anna Akhmátova – Trad.: Lauro Machado Coelho – L&PM – 208 págs. – R$ 13,50

Asperezas do subúrbio norte-americano

Pobre George é o romance de estreia da escritora norte-americana Paula Fox. Publicado em 1967, o livro narra a história de George Mecklin, um inquieto professor de inglês do subúrbio de Manhattan. George vive com a esposa Emma em uma casa afastada da área urbana. Insatisfeito com o casamento, vive à mercê da angústia. Um fato inusitado, porém, faz mudar sua vida pacata e tediante. Sua casa é invadida pelo jovem Ernest, um delinquente da vizinhança. À revelia de Emma, Geroge decide ajudar o rapaz, ao invés de entregá-lo à polícia. A partir de então, desenrola-se uma trama intensa, marcada por embates existenciais e diálogos abruptos, de modo a mimetizar o cotidiano do subúrbio norte-americano dos anos 1960. Esta é a primeira edição brasileira do romance, com tradução de Maria Alice Máximo.

Pobre George – Paula Fox – Trad.: Maria Alice Máximo – Record – 272 págs. – R$ 30

Paradoxos entre vida e obra

Há escritores que, a despeito de suas posições político-ideológicas, criaram obras singulares. Ernest Jünger, por exemplo, lutou na Segunda Guerra em favor dos nazistas. O argentino Leopoldo Lugones (1874-1938), por sua vez, foi defensor do golpe militar em seu país, tendo proclamado que “para o bem do mundo, era chegada a hora da espada”. Contudo, sua produção literária, composta de contos, poemas e romances, figura entre as mais representativas do modernismo latino-americano. Em As forças estranhas, estão reunidos contos publicados inicialmente em 1906. Neste livro, Lugones vale-se, sobretudo, da temática do fantástico. Jorge Luis Borges chegou a afirmar que a obra estava  “entre as mais perfeitas das literaturas em língua hispânica”. Já em Contos Fatais, de 1924, surge uma atmosfera permeada por temas esotéricos e científicos. Para Miguel Delmaroni, que assina o prefácio da edição, “os relatos de As forças estranhas e dos Contos fatais situam Lugones entre os escritores de sua época que sem dúvida ainda interpelam o leitor contemporâneo e conseguem capturar suas expectativas”.

Contos fatais / As forças estranhas – Leopoldo Lugones – Trad.: André de Oliveira Lima e Maria Paula Gurgel Ribeiro – Globo – 308 págs. – R$ 35

Deixe o seu comentário





Edição do mês

Busca de Edições

Edições anteriores

Facebook