O desmanche neoliberal

A reforma das instituições políticas restringe a participação popular nas decisões públicas, e a defesa dos direitos civis inexiste
Arte: Andreia Freire

Arte: Andreia Freire

Neste Especial, os professores Ruy Braga, do Departamento de Sociologia da USP, e Alvaro Bianchi, do Departamento de Ciência Política da Unicamp, explicam as heranças e consequências do neoliberalismo, que nas palavras de Laurence Cox e Alf Gunvald Nilsen, apresenta-se como um “movimento social ofensivo ‘dos de cima'” cujo objetivo é promover um amplo ajuste social capaz de concatenar as necessidades empresariais num contexto de crise de acumulação às exigências de reprodução da ordem política diante da crise de legitimidade promovida por um Estado nacional refém do poder das finanças globalizadas.

A emergência das novas direitas, fenômeno político mais destacado dos últimos anos na política brasileira, também é analisada. Os resultados obtidos por elas nas últimas eleições municipais foram festejados na grande imprensa como o surgimento de uma força virtuosa capaz de moralizar a política, banir a corrupção, acabar com o populismo e estabelecer um novo equilíbrio na política nacional. Para Bianchi,  não é das velhas esquerdas que poderá vir a resistência às novas direitas.

Pós-doutor em Sociologia, Nilton Ken Ota entrevista o pensador francês Christian Laval, que questiona: “Qual grau de democracia tolera a ordem neoliberal do mundo?” Para Laval, vive-se um momento em que a lógica neoliberal e a democrática vão se confrontar cada vez mais.

Os textos na íntegra você encontra na Revista CULT de dezembro, que traz também o Dossiê ‘A quarta onda do feminismo’, uma homenagem ao centenário do poeta mato-grossense Manoel de Barros e mais:

TEATRO
– As bacantes, do Oficina. Rito e dionisismo no país da ordem e progresso, por Welington Andrade

LIVROS
O voyeur, a mais recente obra de Gay Talese, já pode ser considerada um dos grandes romances americanos do século 21, por Tiago Ferro

POESIA
– Três poemas de Meu semelhante, novo livro de Heitor Ferraz Mello