Clássico de Antonioni, ‘Blow-Up’ reestreia em dez cidades brasileiras nesta quinta

Filme volta aos cinemas 50 anos depois do lançamento; trama é inspirada em conto de Julio Cortázar
Veruschka (Veruschka von Lehndorff) e Thomas (Hemmings)

Veruschka (Veruschka von Lehndorff) e Thomas (David Hemmings) em cena de Blow-Up (Foto: Reprodução)

Redação

Lançado há 50 anos, o filme ítalo-britânico Blow-Up – Depois Daquele Beijo, de Michelangelo Antonioni, reestreia em dez cidades brasileiras a partir desta quinta (8). Cinemas de Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Niterói, Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo e Teresina exibem o clássico de Antonioni até a próxima quarta (14). O relançamento é uma iniciativa da produtora mineira Zeta Filmes.

Na trama, o fotógrafo de moda Thomas (David Hemmings) descobre que pode ter registrado, por acaso, cenas de um assassinato. A conclusão vem depois que ele analisa as ampliações (blow-ups) de algumas fotos que fez, às escondidas, de um casal em um parque londrino.

O longa, um dos mais importantes da filmografia de Antonioni, é baseado no conto As babas do diabo, do escritor argentino Julio Cortázar, que inclusive aparece no filme como personagem de uma das fotografias de Thomas. Na época de seu lançamento, Blow-Up foi recebido de maneira morna pela crítica.

Seymour Chatman, um dos maiores pensadores da obra do cineasta italiano, diz que o filme é uma espécie de “whodunit”, tipo de narrativa em que a busca pelo autor de um crime funciona como ponto central, característica que acaba se transformando em uma questão filosófica obscura para o protagonista.

“As ampliações do fotógrafo levantam mais perguntas do que as respondem. E o processo – como uma barganha faustiana que Thomas faz com sua arte – não está desprovido de riscos para o artista em si”, disse Chatman à CULT 93. Veja aqui as salas e os horários de exibição.