Amada e odiada, Brigitte Bardot é tema de nova biografia

Sai na França novo estudo sobre a musa do cinema

Uma nova biografia escrita por Marie-Dominique Lelièvre, do jornal “Libération” revisita o percurso da triz francesa Brigitte Bardot, grande símbolo sexual dso anos 50 e 60. Ela  ficou famosa por suas atuações em filmes como E Deus Criou a Mulher, de Roger Vadim (1956) e O Desprezo, de Jean-Luc Godard (1963),  e causou polêmica com suas declarações preconceituosas contra negros, imigrantes e homossexuais.

Em Brigitte Bardot, para encher os olhos (livre tradução de Brigitte Bardot, plein la vue, ed. Flammarion, França), a autora enfatiza, de forma lúdica e inteligente, sua admiração e afeto pela atriz.