Oficina literária

Deserto em mim

É primavera

e eu tento catar flores:

ao vento

nas areias do deserto

nas profundezas dos esgotos,

para acalentar minha alma

despetalada

e iluminar olhos sem vida.

É primavera

e eu caço numa estirada

flores nos quatro cantos de minas,

nas cidades de minas

nas campinas de minas

nos montes de minas

nos muros de minas,

nas aberturas das pedras

e das rochas de minas.

Outras estações se despedem

e eu ainda continuo

procurando flores…

Flor de Laranjeira

Não recolho

mato

erva

e

capim

no fundo do quintal.

Destroçaram

verde

cor de rosa

violeta

e

minha flor de laranjeira.

Meus olhos miram tristes

as folhas secas

do mato

da erva

da flor de laranjeira.

Verde desbotou

cor de rosa desapareceu,

restou

:

sépia misturado

com vermelho ocre.

Só no fundo do quintal

um galhinho tímido

de flor de laranjeira

camuflado.

é mestranda em literatura, cultura e sociedade pela Universidade Federal de Viçosa

Comentários (19)

  • Pedro Paulo Sintra |

    22/09/2011

    Prezada poetisa Andreia Donadon Leal
    Belíssimos poemas publicados na renomada revista Cult, para saudar a primavera. Seus textos apresentam binarismo no conteúdo- linguagem forte e leve,fragmentada e desfragmentada, além da sinestesia. A plasticidade é vista na descrição da poesia Flor de Laranjeira. Vejo a flor de laranjeira sobrevivendo, insistindo em sobreviver no meio da cor sépia, seca.
    Parabéns pelos poemas.

  • Eder Luis T. Kamitani |

    22/09/2011

    Olá Andreia, tudo bom?
    Curti muito o poema “Deserto em mim”… Eu entendi como
    a busca da sensibilidade nas coisas amorfas… a procura
    corajosa e contínua por vida e beleza no que está adormecido
    pela estafa do tempo e da rotina.
    É bonito como isso permanece no efêmero, que a busca
    permanece mesmo “quando as estações se despedem”,
    porque esse ideal não é sazonal nem temporal, é algo
    perene e puro.
    Parabéns e um grande abraço

    Eder Luis T. Kamitani
    Economista (CORECON-SC 3259) do Departamento de Planejamento e Orçamento
    da Eletrosul e Mestrando em Teoria Econômica na Universidade Estadual de Maringá

  • marilia siqueria lacerda |

    22/09/2011

    Fantástica, essa nossa minierinha! Artista completa esta menina! Conheço-a desde os primeiros textos pré-publicados e me encanta sempre com sua poética, quer na escrita, quer através das artes plásticas, quer como pessoa!

  • AMÉLIA LUZ |

    22/09/2011

    Andreia.

    Belos poemas, muita inspiração e sensibilidade. Parabéns pelo seu grandioso trabalho.

    Amélia Luz

  • José Luiz Foureaux de Souza Júnior |

    22/09/2011

    Andreia pinta com as palavras ou escreve com as cores. Uma pintora/poetisa das mais sensíveis que conheci. Tenho o prazer e a honra de poder acompanhar o trabalho da querida amiga conterrânea. Evoé!

  • Pedro Jeffer |

    22/09/2011

    Poeta Andreia Donadon Leal
    Cumprimento-a fervorosamente pelos belíssimos poemas publicados na Revista Cult, uma das mais importantes revistas culturais do país, com edição de 35 mil exemplares, distribuição em universidades, pontos de leitura e de cultura, etc.
    Os poemas apresentam liberdade nos versos, o que torna a poesia agradável de ser lida, destando a imagética,tônica e marca registrada em suas palavras.
    Você será um nome importante na história da literatura do século XXI.
    Saudações!

  • Maria goretti de Freitas Oliveira |

    22/09/2011

    Fiquei encantada! Belissimos poemas! Ao Lê-los senti sua presença. Sabe quando se lê com os olhos e sente a musicalidade e ritmo do autor? Pois é.Foi assim.
    Parabéns por publicar seus textos numa revista tão conceituada, pelos poemas, por ser uma artista completa e por ser uma pessoa maravilhosa!
    Goretti de Freitas

  • maria luiza falcão |

    23/09/2011

    querida andréia
    minas está repleta de flores. são encantos em todos os cantos. buscar por elas é uma arte. encontrá-las também. respeitar a aridez ou a promessa de vida em um pequeno broto é estar em comunhão com a natureza. parabéns!!!

  • Mariana De-Lazzari Gomes |

    23/09/2011

    Andréia Donadon Leal (para mim, Déia ou Donadon ou simplesmente amiga…)
    Armei-me de flor e fruto, minério e montanha para receber seus poemas. Numa fruição serena, passeei por jardins, desci as ladeiras de minas, terminei achando flores dentro de mim, como suscita a boa poética.

    Mari.

  • Vera Lúcia Garcia |

    23/09/2011

    Hoje dia da árvore, e recebo esta linda poesia de nossa querida mineira e poetisa Andreia Donadon Leal. Só me resta fazer uma cópia e colocá-la em nosso mural (Biblioteca do Caraça). Parabéns Andreia, principalmente por fazer parte do time de uma revista tão conceituada.

    Vera Lúcia Garcia

  • KATIA PINO |

    23/09/2011

    Versos fortes, doces. Tudo junto e lindo! Essa é Deia Leal. Não foi à toa que essa grande mulher foi eleita Membro Correspondente da Academia de Artes, Ciências da Ilha de Paquetá. Isso muito nos honra. Grande abraço e, parabéns!

  • Didi Jacaré |

    23/09/2011

    Estamos sempre torcendo por ti :)

  • Miriam Stella Blonski |

    27/09/2011

    A poesia da escritora Déia Donadon Leal é densa, forte, e ao mesmo tempo lírica, sensível, significante. Pode-se ver, através das flores que menciona,e das flores de laranjeira, os traços de sentimentos acalentados no recôndito do coração da rtista. Lindos!

  • Elvandro Burity |

    28/09/2011

    Confreira, Amiga e Madrinha Andreia
    Não mais me surpreendo com o teu talento artístico cultural. Sou teu fão incondicional e de carteira assinada. Sem exagero, afirmo que: – sem o teu talento, o teu trabalho nas artes e na cultura, sem o trabalho social por ti articulado: Marina em particular e por extensão Minas Gerais ficam insossas. Teus poemas e teus quadros são presentes e produto de quem tem a alma perfumada e florida.
    É bom estar no rol dos teus amigos.
    Com muito axé, efusívos abraços poetanos.
    Desejo continuado sucesso nos teus louváveis empreendimentos.
    Parabéns!!!!!!!!!!

  • Zilda Pires |

    28/09/2011

    Querida Deia, como sempre escreve com a alma, para alegrar as almas,
    Não encontro palavras para para expressar a magnitute de seu poema.
    Bjs,
    Zilda Pires

  • Nicolau Ginefra |

    28/09/2011

    Os quadros de Andreia Donadon leal são menos metonímicos, mais luminosos, mais a doçura dela mesma, mais a arquetipia das Minas Gerais! Prefiro seus poemas mais ingênuos, mais alegres, mais coloridos! É uma artista inegável, em todos os níveis, em todas as suas expressões. Parabéns, Deia!!!

  • France Gripp |

    26/11/2011

    Cara amiga poeta Andréia

    Parabéns pelos belos versos! Pude sentir a cena descrita… E parabéns pela publicação na Cult!
    Abraços!

  • Nicolau Ginefra |

    15/04/2012

    Espere florescer de novo e ponha a flor nos cabelos!

  • Eder Kamitani |

    16/07/2013

    Prezada Andreia, confirmo o teor da minha opinião, contudo enviei para seu email. Não queria que você tivesse o publicado. Abraço